Anúncios | Artigos | Galeria |  Fórum   | Eventos | Utilizadores | Top | Raças | Diários | Quem?

Utilizador:
Password:
Memorizar-me


== ARTIGOS ==
Site Felinus
Lazer
Entrevistas
Clipping
BD
Newsletters
Encontros
Ajuda
Notícias
Sobre o Site
Informação
Raças
Conselhos
Legislação
Notícias
Campanhas
Crónicas
Histórias Felizes
Ficção
Humor
Opinião
Livros
Revistas
Filmes
Lojas
Veterinários
Alimentação




Artigos  » Crónicas » Histórias Felizes

Rudolph and I – A Xmas "Carol"

A minha bisa é irlandesa. Ainda é mesmo depois da sua morte; cada um de nós ainda sente na pele o cheiro e a sombra de “Eira”.

O meu Rudolfo é um gato grande. Não é gordo, não, apenas muito grande. Um doce de gato que , como qualquer outro felino, gosta de festas e de brincar. Que culpa tem de ser grande? Nenhuma... no outro dia perguntaram-me – “ Morde?”

Vivemos a nossa vida a ouvir histórias de fadas e duendes que habitavam as florestas mágicas da Irlanda. A minha bisa sempre que podia, adorava misturar com as histórias fantásticas, outras menos belas de ódios e raivas das gentes que habitavam as aldeias e cidades da Irlanda. Embora nenhuma delas me dissesse respeito, as primeiras enchiam-me a cabeça de sonhos e fantasias; as segundas, eu não percebia. A minha avó encostava-se á ombreira do quarto e dizia – “Senhora, porque conta esses pesadelos às criaturas?” – “ Mi life “, respondia ela...

Rudolfo não faz mal a uma mosca; não rosna, não bufa, não arranha, não morde. Apenas está sempre ali e que tem um sorriso maior que o mundo. Mas todos os gatos têm medo do Rudolfo. Então, Rudolfo faz da noite a sua aliada e convida-me a partilhar a solidão, a dois, das suas brincadeiras. Todos os restantes gatos da casa dormem. Rudolfo ergue-se do seu sono e faz-me ecoar pela casa em gargalhadas, risinhos estridentes. Nossa a noite de poucos minutos: rebola a bola ou eu, já não sei onde começam os meus cabelos ou a côr branca de Rudolfo. Corremos e corremos, corremos e voltamos a correr até que o momento mágico pára, acordados por um miar triste ao meu lado: “ Então e eu?!” Jolie, a tartaruga tricolor muito badocha chega-se de mansinho á pele de Rudolfo que estremece. Rudolfo deita-se; Jolie começa a lamber-lhe as orelhas; Rudolfo estende-lhe o pescoço e Jolie ali fica a lamber-lhe a cabeça, o pescoço... até que Rudolfo, como uma criança pequena deixa que Jolie lhe ofereça o focinho e depois, aninham-se na manta muito juntos a ronronar.

A minha bisa morreu no Saint Patrick Day. Nesse Natal, a minha avó continuou a tradição de cada um partilhar uma história mágica. Este é um costume irlandês: partilhar uma história. Nesse Natal a minha avó contou a história de uma menina irlandesa que se apaixonou por um jovem militar inglês; a família da menina não queria que a menina casasse com ele. Então, o casal de apaixonados casou-se ás escondidas, segundo o ritual católico romano. Foram perseguidos porque nenhuma das famílias os queria acolher. Fugiram...saíram do país e foram felizes para sempre! “Não tem cavaleiro, princesa e cavalo branco!” – disse eu. “Nem todas as histórias têm, Teresa! E não deixam de ser mágicas por isso! Salva e serás salva- é este o espírito da magia!” – respondia ela.

Rudolfo estava a morrer! Quando o conheci era como se o mundo se estivesse já a extinguir. Nada importava: nem a água, nem a ração, nem os afagos e as vozes que fervilhavam na quarentena. Uma voz ao fundo da sala: “ Se quiseres tentar...lipidose hepática... deixado aqui à porta... suicídio! Olha tenta, mas...”. Nada de novo, neste lado do mundo. Eu sabia. Abro a porta. Sinto o cheiro da raiva e do desespero. Ergo o focinho de um enorme vulto branco. Os olhos azuis do mar de “Eira” prolongam-se no meu olhar. “ A magia acontece; não sabemos quando.... Quando parei ... Rudolfo estava já no meu coração.

Passo a mão sobre o pêlo fofo de Rudolfo que agora dorme enrolado na Jolie. Continuo a dobrar as meias que deixei penduradas no sofá. “Bisa, tenho uma história para contar este Natal! Vou partilhar uma história mágica sobre um gato! Enquanto conto, afagas-me a cabeça?!

Feliz Natal, para todos vós!




- TSousa (Teresa Paula Sousa) [ Europe/Lisbon ] 2005/12/06 23:49

Versão para Impressão Enviar a um amigo

» ZicaCabral ( Zica CAldeira Cabral) » [ Europe/Lisbon ] 2005/12/27 16:33
Outra vez uma beleza de conto.................
e as memorias lindas da tradição irlandesa.........
Beijinhos eniormes
Zica

» anajorge ( Ana Antunes) » [ Europe/Lisbon ] 2005/12/14 11:34
Completamente sem palavras. Com muitas lágrimas nos olhos.

» lovekatzz ( sonia silva) » [ Europe/Lisbon ] 2005/12/11 00:46
Que linda história... smile.gif Fiquei enternecida ao ler a história do Rudolfo, o gato que tanto me impressionou pelo tamanho e pela delicadeza, o doce Rudolfo wub.gif

» Papaçordas ( Cecília Freitas) » [ Europe/Lisbon ] 2005/12/09 11:57
Adorei, Teresa!!

» Assunção ( Assunção Baptista) » [ Europe/Lisbon ] 2005/12/08 14:55
Lindo!

» mhortaramos ( Maria Manuela Picado Horta Alves Ramos) » [ Europe/Lisbon ] 2005/12/07 17:07
Içu, içu, titi Tété. I de caminho iscreva uma çobre a mim, fachavor.

» catlover ( Gina Pegado) » [ Europe/Lisbon ] 2005/12/07 12:35
wub.gif E que lindo gatão que está o Rudolfo.

» ClaudiaF ( Cláudia Figueiredo) » [ Europe/Lisbon ] 2005/12/07 12:33
Simplesmente lindo!!!! Adorei, Teresa, que tal escrever um livro de contos sobre os teus meninos?

» hecep ( Helena Cepeda) » [ Europe/Lisbon ] 2005/12/07 11:57
smile.gif

» sonia calvao ( Gazela) » [ Europe/Lisbon ] 2005/12/07 10:17
wub.gif wub.gif wub.gif
Um aconchego para o coração....ler esta "história mágica"....

» rita.xavier ( Ana Rita Freitas Xavier) » [ Europe/Lisbon ] 2005/12/07 08:56
Toca o coração, de facto!! wub.gif

» selenis ( Rute) » [ Europe/Lisbon ] 2005/12/07 02:16
bela história Teresa! smile.gif

» Filipa Bastos ( Filipa Bastos) » [ Europe/Lisbon ] 2005/12/07 01:35
Lindíssimo, Teresa clap.gif Obrigada por partilhares connosco esta história wub.gif

» Ana Ramos ( Ana Ramos) » [ Europe/Lisbon ] 2005/12/07 00:04
EStá linda TEresa. ainda bem que naquele dia a tua bisa e mais os duendezinhos todos guiaram os teus passos até à UZ onde o Rudolfo tinha desistido de comer, de viver. E ainda bem que aceitaste o desafio biggrin.gif ainda bem que nao viraste as costas a esse gatão branco.. (afinal como farias o soro ao Bastien sem ele biggrin.gif
TERMOS DE USO | Regras de Utilização | Felinus e Cia. - © 2001 - 2018 Equipa Felinus