Anúncios | Artigos | Galeria |  Fórum   | Eventos | Utilizadores | Top | Raças | Diários | Quem?

Utilizador:
Password:
Memorizar-me


== ARTIGOS ==
Site Felinus
Lazer
Entrevistas
Clipping
BD
Newsletters
Encontros
Ajuda
Notícias
Sobre o Site
Informação
Raças
Conselhos
Legislação
Notícias
Campanhas
Crónicas
Histórias Felizes
Ficção
Humor
Opinião
Livros
Revistas
Filmes
Lojas
Veterinários
Alimentação




Artigos  » Informação » Raças

Basset Hound

Origem


A origem do Basset, assim como acontece com a maioria das raças antigas é controversa, e como sempre as teorias acerca da sua verdadeira proveniência são tão numerosas como as suas rugas, sendo disputada por franceses, ingleses e americanos.
Autor: Revista Cães e Mascotes

A hipótese mais aceita pelos criadores e historiadores, é que o Basset Hound tem origem em França, provêm do cruzamento de cães de patas curtas, muito úteis e frequentes nas batidas de caça francesas. Esses exemplares eram denominados de “basse”, que significa baixo.

Da França foi exportada para a Inglaterra. Mas como deram o salto para Inglaterra? Foi em 1863 quando os primeiros exemplares da raça são apresentados na exposição canina de Paris e desde essa situação privilegiada, que o salto para a fama não é nenhum obstáculo. Três anos mais tarde uma destacada personagem da alta sociedade londrina importa um casal de Basset Hound que, passado um ano, dá a luz a sua primeira ninhada.

Em Inglaterra, a partir da introdução de cruzamentos com o Bloodhound e Beagle, o Basset adquiriu a coloração e a expressão característica da raça, com a pele bem solta, mas com a aparência bastante diferente da conhecida actualmente. Mas, apesar do nome comum, os cães nesta época ainda eram bastante diferentes entre si.

No início do século XX, a raça sofre uma acentuada debilitação devido ao excesso de consanguinidade. Por volta dos finais da década de quarenta, após as duas guerras mundiais, a raça voltou a ter um novo retrocesso que, apenas devido ao entusiasmo e fervor dos criadores mais sérios e rigorosos, foi recuperado em pouco tempo. E o esforço valeu a pena, já que durante as décadas de sessenta e setenta converteu-se num animal muito popular, graças, sobretudo, ao seu físico engraçado.


Características



Autor: http://www.abroleto.com.br/

Aparência Geral - Comprido como uma salsicha, patas curtas e cheias de rugas e uma altura, que quase não chega aos calcanhares! Na verdade, o seu corpo parece desafiar todas as leis da física, é esse e o seu grande atractivo.
Comprido e bem profundo em toda a sua extensão com dorso bem amplo, com lombo e quartos traseiros na mesma altura, embora o lombo possa ser ligeiramente arqueado.

Cabeça - Em cúpula, de largura média, afilando suavemente até o focinho. A aparência geral do focinho é lisa, mas não pontuda. Podem haver rugas, em quantidade moderada, na testa e junto aos olhos. De qualquer modo, a pele da cabeça deve ser suficientemente solta para formar rugas bem nítidas. As bochechas recobrem amplamente os lábios inferiores. O nariz é inteiramente preto, salvo nos cães de cor clara. As narinas são grandes e bem abertas.

Olhos - Em forma de losango. Não proeminentes nem muito profundos nas órbitas, de cor escura, mas podem ser marrom médio nos cães de cor de pelagem clara. A expressão é calma.

Orelhas – As orelhas, como muito bem dizia Shakespeare "varrem o orvalho da manha", e também todo o pó e sujidade do chão. Ao serem tão compridas e descaídas, o ar não chega ao seu interior, o que, aliado a presença de objectos estranhos e excesso de cera, atrai com frequência males como otites. São muito macias, de textura fina e aveludada.

Pescoço - musculoso, bem arqueado, com bom comprimento;

Patas - Maciças, com juntas fortes e bem almofadados. Pernas dianteiras curtas, poderosas, com forte ossatura, ou ser ligeiramente virados para fora, mas, de qualquer modo o cão deve ficar firmemente plantado em suas patas com o peso distribuído igualmente pelos dedos e almofadas.

Cauda - Um tanto longa, forte na base e afinando, com moderada quantidade de pêlos ásperos na parte inferior. Na movimentação, a cauda é apontada para cima em com uma curva suave, mas nunca enrolada ou caída sobre o dorso.

Pêlo - O seu manto é duro e liso, curto e não muito fino, mas esconde uma pele mole e elástica.

Cor - Geralmente preto, branco e tan ou branco e limão, mas qualquer cor reconhecida de basset hound é aceitável.

Altura - A altura ronda os 33 a 38 cm em ambos os sexos.

Peso - O macho alcança um peso entre os 30 e 35 Kg, enquanto que a fêmea se situa entre os 25 e os 28 Kg.




Temperamento




Autor: http://www1.uol.com.br/au/basset.htm
0 carácter do Basset, apesar do por vezes o seu olhar parecer um pouco tristonho, na realidade não conhece a melancolia, gosta de divertimento - quantas mais crianças houver pelo meio, melhor, adora a actividade - sobra-lhe resistência física! E se o seu dono não se impõe, irá converter-se num cão que não liga nenhuma a ninguém.

O Basset Hound caracteriza-se por uma grande docilidade, ao que parece, não há raça alguma com a tolerância do Basset Hound, ainda que se tenha crianças em casa e elas queiram montá-lo ou puxar-lhe as orelhas ou o rabo, ele não terá reacção agressiva. Geralmente, se são agredidos, os cães desta raça ou correm ou se escondem-se, mas nunca atacam. Não existem estranhos para este cão, todos são amigos.

O Basset também quer brincadeiras de vez em quando, pois esta raça também gosta de uma boa cesta, adora descansar e ficar relaxado. O seu dono terá que o motivar a mexer-se, a dar caminhadas, até para evitar problemas de obesidade.

Por parecer tranquilo, pode passar a ideia de que não se incomoda de ficar sozinho, mas não é verdade, ele detesta solidão. Ladrar sem parar é típico do Basset Hound, caso permaneça sozinho por muito tempo. Mas basta ter companhia, de preferência de pessoas, que deixa de fazê-lo. Vários criadores chegam a dar um limite de tempo para a raça ficar só: quatro horas. Depois disso, começa a ladrar sem parar num tom rouco, forte e bem alto, digno de um cão que transmite a agonia da solidão e que acaba, obviamente, por incomodar a vizinhança.

Extremamente apegado ao dono e às pessoas da casa, o Basset Hound pode adaptar-se tranquilamente a apartamentos, desde que tenha companhia a maior parte do tempo. É uma raça que é radicalmente contra-indicada para pessoas que não possam lhe dar atenção porque ele detesta ficar sozinho.





Instintos Predadores



Autor: http://www.abroleto.com.br/

O Basset Hound pertence a um grupo de cães que se consagrou por originar excelentes companheiros - os cães de caça - já que a função requer grande proximidade com o homem. Embora, actualmente seja quase exclusivamente um cão de companhia.

Ao tratar-se originalmente de uma raça caçadora, conserva fortes instintos predadores e fareja o que for possível para apanhar uma lagartixa mais ousada ou um rato mais distraído. E, sobretudo, sente uma verdadeira necessidade de se aplicar a fundo num exercício diário, embora a sua aparência pesada - de facto, pesa um pouco - torna impossível que seja ágil e veloz em corrida... não se trata de um Galgo, mas safa-se.

Desliza com passos curtos e quando corre - em poucas ocasiões! - parece que o seu corpo se vai desmanchar. Não teme os desafios, e é capaz de subir encostas inclinadas e terrenos muito difíceis. Para alem disto, a actividade diária é conveniente para o manter afastado da sua tendência para a obesidade.

Quando não estimulado pelas emoções de seguir trilhos, caçadas, o Basset Hound faz aflorar o seu lado preguiçoso.


Cuidados



O Basset é um cão forte e rústico, e os principais problemas de saúde da raça estão intimamente ligados à sua constituição física.
Autor: Revista Cães e Mascotes

Orelhas- As orelhas por serem tão compridas e descaídas, o ar não chega ao seu interior, o que, aliado a presença de objectos estranhos e excesso de cera, atrai com frequência males como otites. A limpeza dos ouvidos deve ser feita uma vez por semana para evitar excesso de cera e as comuns otites causadas pelo ambiente húmido e abafado típico em raças de orelhas caídas.

Pele- Não podemos deixar de referir que a sua pele, devido as suas características, também é propensa a transtornos. Não e tão enrugado como o Shar Pei, mas existem certas partes do seu corpo onde as rugas se acumulam, sobretudo nas patas, papada, rosto e parte posterior do pescoço. 0 controlo periódico destas zonas, e a procura de impurezas alojadas entre as rugas é obrigat6rio. E, obviamente, após os banhos é necessário que seque a humidade que fica entre as rugas. Basta escová-lo duas ou três vezes por semana com uma escova de borracha. A melhor maneira para controlar os problemas de pele naqueles que têm maior tendência para a oleosidade, são os banhos frequentes, no mínimo quinzenais, e com champôs próprios,

Olhos- Os olhos são outro ponto fraco da raça. Possui uma característica, inimitável: nem o Cocker com o seu olhar melancólico supera a nostalgia da expressão deste animal. No entanto, a excessiva queda das suas pálpebras inferiores costuma motivar males diversos: a exposição e a agressão de agentes externos como bactérias, vírus e sujidade podem derivar em conjuntivites de gravidade diversa. A dica é limpar os olhos e manter o cão longe de poeira e vento, evitando principalmente andar com ele no carro com a cabeça para fora da janela.

Obesidade - Pelo menos meia hora de caminhada diária é importante para não ficar obeso, já que é um comilão, e é importante para desenvolver a musculatura que sustenta a estrutura vertebral muito longa, típica da raça.

Acasalamento- No acasalamento precisará de ser auxiliado pois devido as pernas curtas e corpo longo o macho encontra dificuldades para montar na fêmea. Outro detalhe é que geralmente a fêmea costuma se sentar devido ao peso do macho, o que impossibilita o macho acasalar.




Alimentação



Autor: http://www.abroleto.com.br/

Recomenda-se uma ração equilibrada e específica para o seu tamanho. Apesar da sua estatura, come tanto ou mais do que um exemplar grande. Não é aconselhável a dieta húmida ou semi húmida, para além de conter uma maior densidade de calorias, restos de comida costumam ficar presos e escondidos entre as rugas próximas à sua boca, convertendo-se num foco de maus odores e transtornos cutâneos. E tome cuidado com aquelas tentações culinárias que possam ficar à sua altura, alimentos que, sem reparar, irá comer sem qualquer problema.

0 seu plano de alimentação deve ser prescrito por um veterinário, sobretudo no que se refere à quantidade de ração em função da actividade e complexão física de cada exemplar: Não esqueçamos que é uma raça propensa a ter uns quilos a mais.




Bibliografia:
Revista "Cães e Mascotes" - Setembro 2004

http://www.abroleto.com.br/
http://www1.uol.com.br/au/basset.htm
http://www.dogtimes.com.br/basset.htm

- Becas (Fernanda Ferreira) [ Europe/Lisbon ] 2005/05/23 11:28

Versão para Impressão Enviar a um amigo

» selenis ( Rute) » [ Europe/Lisbon ] 2005/05/23 13:59
uns fofos sem duvida!

» netinho ( Sílvia Neto) » [ Europe/Lisbon ] 2005/05/23 13:22
O q + me impressiona é realmente o ar tristonho.... sad.gif
Lembro-me de ha uns anos na altura do verão, dava um anuncio na tv de um basset houd a chorar como se tivesse sido abandonado - o anuncio era um apelo ao n abandono dos animais nas ferias....
(eu chorava bab e ranho cd vez q dava o anuncio.... até agora q estou a escrever tenho lagrimas nos olhos....)
Mas a nivel de comportamento, realmente sao mto fofos e meigos wub.gif

» Papaçordas ( Cecília Freitas) » [ Europe/Lisbon ] 2005/05/23 12:21
São de facto uns cães magnificos. Bom artigo, acho que só faltou um pormenor, os malandros costumam espalhar "baba" quando se abanam. Excelentes companheiros de brincadeiras para as crianças, mas pouco apropriados para apartamento, necessitam exercicio fisico diário!

» hecep ( Helena Cepeda) » [ Europe/Lisbon ] 2005/05/23 11:41
São tão giros smile.gif
TERMOS DE USO | Regras de Utilização | Felinus e Cia. - © 2001 - 2018 Equipa Felinus