Anúncios | Artigos | Galeria |  Fórum   | Eventos | Utilizadores | Top | Raças | Diários | Quem?

Utilizador:
Password:
Memorizar-me


== ARTIGOS ==
Site Felinus
Lazer
Entrevistas
Clipping
BD
Newsletters
Encontros
Ajuda
Notícias
Sobre o Site
Informação
Raças
Conselhos
Legislação
Notícias
Campanhas
Crónicas
Histórias Felizes
Ficção
Humor
Opinião
Livros
Revistas
Filmes
Lojas
Veterinários
Alimentação




Artigos  » Informação » Raças

O gato Ragdoll

A raça de gatos Ragdoll tem-se tornado uma das mais populares e requisitadas em todo o mundo e num curtíssimo espaço de tempo. O seu aspecto peludo e fofo, a personalidade de um ursinho de peluche e o seu nome curioso (traduzido Ragdool significa “boneca de trapos”) os gatos desta raça têm despertado muita curiosidade no geral e nunca esta raça teve tantos admiradores como nos dias de hoje.


Autor: desconhecido
Ragdoll



ORIGEM


O gato Ragdoll é considerado uma raça hibrida, ou seja, que a mesma não ocorreu espontaneamente na natureza mas sim foi desenvolvida através da intervenção humana, o resultado de anos de criação selectiva. Mas, apesar de muitos criadores afirmarem que esta raça teve origens entre os cruzamentos das raças Persa, Sagrados da Birmania, e Burmeses, a origima desta raça permanece ainda hoje um mistério.




HISTÓRIA


A história do início desta raça de gatos começou com Ann Baker, nos anos 60, na Califórnia, EUA. Ann Baker era uma criadora de gatos Persas, principalmente pretos. Josephine era uma gata branca, com pêlo longo, que pertencia á vizinha de Ann, a sra. Pennels. Como a maioria dos gatos na sua zona, Josephine era meio arisca e tinha ninhadas frequentemente. Numa dada altura, Josephine foi atropelada e a vizinha de Ann Baker recolheu-a e tratou dela até ficar de novo em forma. Durante este período de tenpo Josephine manteve-se dentro de casa e tornou-se uma gata meiga e mansa. Quando teve a sua ninhada seguinte, os gatinhos naceram em casa quando Ann Baker reparou neles.
A ninhada anterior de Josephine tinha produzido gatinhos meio ariscos, tal como a mãe era, mas depois do acidente esta ninhada era algo diferente. Os gatinhos tinham uma personalidade muito relaxada e eram extremamente sociáveis.

Algumas teorias acerca desta notável mudança nos gatinhos nascidos após o acidente era que o mesmo teria afectado os genes de Josephine, o que é mais que evidente impossível. Outra teoria sugere que Josephine sofreu uma mutação nas suas células reprodutivas, o que já é considerada uma teoria possível, mas muito improvável visto serem necessários mais um gene respnsável no temperamento dos gatinhos. Em qualquer dos casos Ann reparou em algo especial nesta ninhada e decidiu eventualmente que os utilizaria para criar uma nova raça.

O primeiro gatinho de Josephine que Ann levou era Buckheat, uma fêmea preta , muito semelhante a um gato Birmanês. Mais tarde ficou com outra fêmea da ninhada de Josephine, uma gata bicolor chamada Raggedy Ann Fugianna. O pai de Fugianna era Daddy Warbucks, um filho de uma ninhada anterior de Josephine e que era da vizinha de Ann Baker. Ann ficou muito impressionada com a aparência de Daddy Warbucks, que parecia um Sagrado da Birmania. Estes gatos foram os primeiros a dar início á raça Ragdoll.

Ann começou a publicitar os gatinhos e depressa os Ragdolls começaram a chamar a atenção da imprensa. Ann registou o nome Ragdoll e logo começou a ser contactada por outros criadores. Ann deu origen também á International Ragdoll Cat Association (IRCA), a primeira Associação dedicada aos gatos Ragdoll. Mais tarde, em 1971, foi formada a Ragdoll Fancier´s Club International (RCFI) para que esta raça pudesse estar presente nas Exposições a nível mundial. Os gatos Ragdoll foram reconhecidos pela primeira vez como raça, nos Estados Unidos, em 1967 e em 1984 começaram a ser exportados para outros países.

Hoje em dia, o gato Ragdoll continua a ser relativamente raro mas o número de Ragdolls e os seus criadores tem aumentado bastante nos últimos anos. Ann Baker faleceu em 1997.




CORES E PADRÕES



Autor: MMonte
Geri (seal colourpointed)

Os gatos Ragdoll têm 4 cores base e 3 padrões e todos têm olhos azuis e uma pelagem de tamanho média a longa, suave e que não se embaraça.
Todos os Ragdoll são gatos com as extremidades do corpo de cor mais escura (pointed). Isto significa que a cor nas suas orelhas, focinho, pernas e cauda é de um tom escuro e o resto do corpo de um tom bem mais claro, fazendo constraste.

Os Ragdolls são vistos maioritariamente em 4 cores tradicionais:

Seal (castanho quase preto) – Os gatos seal têm as extremidades do corpo de um castanho escuro profundo. Os seus corpos apresentam uma cor creme, desde muito claro até um creme um pouco mais escuro. O nariz e almofadas das patas deverão ser de um castanho bem escuro, quase preto.

Chocolate – Os Ragdoll chocolate têm pontas (as extremidades do corpo) num tom chocolate claro podendo variar até um tom de chocolate mais escuro.


Blue – O Ragdoll Blue (azul) tem as extremidades do corpo de um azulado claro até um azulado prateado, apresentando um aspecto acizentado.

Lilac – O ragdoll Lilac (lilás) apresentam extremidades que vão do lilás muito claro até a um bege rosado. Os seus corpos deverão ser de um branco leite e o nariz e almofadas poderão ser de rosa a lavanda.



Autor: Le Capri Ragdolls
Tabitha (mitted)


Os padrões standard são três: colorpoint, mitted e bicolor.


Colourpoint - os gatos Ragdoll têm uma cor escura nas suas orelhas, focinho, pernas, pés e cauda. A cor do seu corpo é mais clara que a das extremidades. O peito e queixo são normalmente mais claros.

Mitted - os Ragdoll mitted são identicos aos colorpoint excepto que têm patas brancas, queixo e peito. As suas patas dianteiras são brancas como se estivessem enluvadas e nas traseiras essas “luvas ” extendem-se até mais acima, parecendo umas “botas” brancas.

Bicolor – os Bicolor têm uma cor mais escura no seu focinho, orelhas e cauda. Contudo, o focinho bicolor caracteriza-se por apresentar um “V” invertido na cara, de cor clara. O peito, as pernas e os pés são brancos. O nariz e almofadas são rosa.


Em 1997 foi aceite também o padrão Lynx e a cor Vermelha.
Autor: desconhecido
red colorpoint


A cor Lynx não afecta as 4 cores ou os 3 padrões já existentes dos gatos Ragdoll. Apenas adiciona um efeito tigrado á face, pernas e cauda.

As cores que derivam da aceitação do Vermelho são o tortie point e o flame point. Os Tortie point têm uma apresentação tricolor e os Flame points apresentam um tom avermelhado .




PELAGEM


A pelagem de um gato Ragdoll vai de mediana a comprida, densa, suave e sedosa, que acompanha as linhas do corpo. Torna-se mais comprida no peito e contornando a cabeça. A sua pelagem chega a formar mechas no seu corpo seguindo o movimento do gato e ao estar sentando dando-lhe um ar meigo e imponente.
O seu pêlo, apesar de médio ou longo raramente se embaraça e é fácil de tratar.




DESCRIÇÃO


O Ragdoll é um gato de corpo largo, robusto e musculoso. Trata-se em geral de um gato grande, considerada uma das raças “gigantes” de gatos existente. O seu crescimento total só é alcançado por volta dos 3, 4 anos de idade, podendo os machos chegar aos 90 cms comprimento e pesar entre 6 a 8 quilos (10 quilos ou mais em algumas linhas americanas de criação). As fêmeas alcançam entre 4 a 6 quilos, sendo portanto menores que os machos.

A sua cabeça em forma de triangulo, com uma superficie plana entre as orelhas. O cranio é plano. As orelhas são de tamanho médio, de pontas arredondadas, separadas e inclinadas para a frente. Os olhos são grandes, ovalados, bem separados e de um azul nítido.O canto superior dos olhos deve estar alinhado com a base das orelhas (estes olhos com direção obliqua marcam a diferença de outras raças como a dos Sagrados da Birmania). O tronco é curto e musculoso. As patas são de tamanho médio, as dianteiras ligeiramente mais curtas que as traseiras. Os pés com dedos bem definidos e cobertos de pêlos .




CARÁCTER E COMPORTAMENTO


Os Ragdolls merecem verdadeiramente o seu nome. Ragdoll significa “boneca de trapos” e uma caracteristica deste raça é a sua tendência para relaxarem o seu corpo, os seus músculos, de modo a ficarem moles e “largados” nos braços do seu dono, tal e qual como se se tratasse de uma boneca de trapos.

Os gatos Ragdolls são estritamente gatos de casa, que idolatram os seus donos e dependem inteiramente destes. Em troca, os seus donos recebem um carinho imenso dos seus gatos. Os Ragdolls anseiam por interagir com os seus donos e sendo tão inteligentes aprendem facilmente o que lhes tentam ensinar. Não é raro ver Ragdolls fazerem coisas como irem buscar objectos como um cachorro, aprenderem a dar a pata ou sentarem apenas com um pedido do seu dono. São gatos capazes de irem esperar o dono á porta de casa ou que o seguem por toda a casa. Por isso os gatos Ragdoll precisam muto da atenção e carinho do seu dono.

Este gato é conhecido pela sua doçura, mansidez e tranquilidade. São gatos paciente, suaves, nada agressivos, prestam atençao a tudo o que se passa ao seu redor porém sem se inquietar. É um gato muito carinhoso e confiante ao ponto de seguir qualquer pessoa. A sua vida depende totalmente do seu dono a quem segue todos os passos, como se se tratarsse de um cachorro fiel. Algumas pessoas apelidam-nos mesmo de “gato-cão”. É extremamente caseiro, não gosta de sair.

O tom da sua voz é muito suave, não miam constantemente como outras raças de gatos. São extrememente brincalhoes. Adaptam-se facilmente a qualquer ambiente, o que significa que podemos viajar facilmente com um gato Ragdoll. Também são muito inteligentes e fáceis de educar. São gatos sempre de “bom” humor e dão-se bem com crianças e outros animais, como cães.

Há quem diga que estes gatos têm uma personalidade perffeita: os Maine Coons são preferidos pelo seu tamanho grande, os siameses pelos seus olhos azuis, os ragdolls... pela sua perfeita personalidade.

Autor: Le Capri Ragdolls
Annie
Autor: Le Capri Ragdolls
Bailey




Bibliografia:
http://www.ragdoll-cats.com/
http://www.dlc.fi/~ashi/ragdolls/index.html
The Guide to Owning a Ragdoll Cat, de Gary A. Strobel e Susan A. Nelson, ED. 1997

- MMonte (Madalena Monte) [ Europe/Lisbon ] 2005/01/17 13:45

Versão para Impressão Enviar a um amigo

» nekinha ( sandra) » [ Europe/Lisbon ] 2007/09/25 14:21
o meu gato e muito parecido com foto k aparece no inicio desta raça.......ja vi todas e ele parecesse com este... como ter certeza k é??? alguem ajuda???

» Diane's Pride ( Mamacats) » [ Europe/Lisbon ] 2005/11/16 19:11
Nos tenhmos dois gatinhos disponíveis de momento; Precious Mouse e Rose……..

O seu pai é o E.C. Famor Boy conhecido como Big Boy e a sua mãe é a CH. Precious Skylark of Diane's Pride, nasceram a 22 de Julho e ambos os gatinhos receberam as vacinas triplas e booster, três desparatizações e foram castrados.
Diane of Diane's Pride
www.go.to/dianespride
93 646 0002




» KiLLADY ( Marta) » [ Europe/Lisbon ] 2005/11/14 01:06
sao extremamente lindos!!! junto-me ali a assunçao.. ng me ker oferecer um?! tongue.gif onde se adkirem beldades destas?

» angelic ( Sónia Vanessa Dias Justo) » [ Europe/Lisbon ] 2005/08/22 21:48
LINDOS, LINDOS, LINDOS... não existem palavras para descrever esta raça!
espero em breve ter um... smile.gif é um sonho que pretendo tornar realidade!

» aoinacio ( Ana Oliveira) » [ Europe/Lisbon ] 2005/05/23 14:03
O exemplar Bailey é lindíssimo!smile.gif Cada vez ando mais apaixonada pelos Ragdolls, embora sempre tivesse preferido os Persas.wink.gif

» selenis ( Rute) » [ Europe/Lisbon ] 2005/01/19 17:58
eu tenho paixao por estes gatos, bem como por bosques da noruega... sebem que estes me parecem mais pacificos de ter em casa. pena que com tanto bichinho a precisar de casa, em principio nao irei ter um destes...

» Assunção ( Assunção Baptista) » [ Europe/Lisbon ] 2005/01/17 16:40
Gostava tanto de ter um destes smile.gif
Ninguém quer oferecer-me um? wink.gif

» hecep ( Helena Cepeda) » [ Europe/Lisbon ] 2005/01/17 15:46
smile.gif Uns docinhos!

» netinho ( Sílvia Neto) » [ Europe/Lisbon ] 2005/01/17 15:13
A seguir aos Bosques, os Ragdoll são a minha raça preferida...
Lindos wub.gif
TERMOS DE USO | Regras de Utilização | Felinus e Cia. - © 2001 - 2018 Equipa Felinus