Anúncios | Artigos | Galeria |  Fórum   | Eventos | Utilizadores | Top | Raças | Diários | Quem?

Utilizador:
Password:
Memorizar-me


== ARTIGOS ==
Site Felinus
Lazer
Entrevistas
Clipping
BD
Newsletters
Encontros
Ajuda
Notícias
Sobre o Site
Informação
Raças
Conselhos
Legislação
Notícias
Campanhas
Crónicas
Histórias Felizes
Ficção
Humor
Opinião
Livros
Revistas
Filmes
Lojas
Veterinários
Alimentação




Artigos  » Informação

Os Gatos e a Gravidez, Bebés e Crianças - Entrevista 2


Entrevista a Silvia (Novatos) a propósito da reportagem sobre Gravidez e Gatos.

Ler artigo introdutório a este projecto AQUI

A entrevista à Silvia foi realizada em Março de 2008.


Pertinho para sentir os pontapés do Xavier



1 - Qual era a tua opinião sobre a questão gatos vs gravidez antes de engravidares? Houve alguma alteração na tua forma de pensamento desde então até agora?

Confesso que nunca pensei muito no assunto, mas achava desculpa esfarrapada algumas pessoas usarem a gravidez como desculpa para abandonarem os animais.

A apresentação no regresso do hospital
Depois da gravidez e da companhia que as meninas me fizeram e da forma como me trataram só serviu para que solidificasse a opinião de que não existe qualquer incompatibilidade entre animais e a gravidez.




2 - Como é que o teu médico abordou a questão da gravidez, da toxoplasmose e outros assuntos pré e pós parto geralmente associados a animais?

Antes de engravidar, em análises clínicas descobrimos que sou imune à toxoplasmose, o que para o meu médico não teve qualquer significado face ao facto de ter gatos. Segundo ele “ quando não estava grávida não andava a mexer na areia dos gatos pois não?”.

A existência dos gatos era abordada pelo facto de as meninas reagirem à evolução da gravidez pela forma como se comportavam comigo.

Graças a Deus tenho um médico muito boa onda e com a cabeça no lugar que apenas me recomendou como precaução pós parto ter algum cuidado com os pêlos das gatas nas primeiras semanas do bébé (quando ele começa a gatinhar é inevitável o contacto e não faz mal nenhum).





3 - De que forma é que a relação com as tuas gatas se alterou desde que soubeste estar grávida? Adoptaste algumas medidas preventivas em relação ao contacto com os animais, com a limpeza da areia, etc?

Não tomei quaisquer medidas preventivas com a gravidez. No início custava-me um bocado limpar o caixote porque o cheiro me incomodava, mas depois foi passando e a rotina continuou igual. Não mudei em nada o meu comportamento com as gatas, e confesso que no final da gravidez achava imensa piada “à conversa que tinham com o bébé” – adoravam sentar-se na barriga enquanto ele dava pontapés.


A Zorra zelando por uma noite tranquila


4 - Como é que os animais reagiram à tua gravidez? Houve alterações no comportamento?

... e para que nada falte durante a sesta
As gatas reagiram de uma forma engraçada. A Margarida sempre foi muito dengosa e meiga e não deixou de o ser. Passou a ser muito mais atenta ao meu comportamento, seguia-me bastante. Sempre dormiu nas minhas pernas e no final da gravidez, como passei a dormir de lado gostava de se deitar encostada à barriga.

A Zorra sempre foi uma gata arisca mas com minha gravidez aproximou-se bastante de nós, e de mim com mais dependência. Foi durante a gravidez que se deitou pela primeira vez no colo de qualquer humano. Gostava muito de se encostar à barriga e sentir os pontapés do bébé. Ficou uma gata muito mais meiga.






5 - Como é que as gatas reagiram ao bebé?

Com o bébé a reacção foi engraçada.

Margarida sempre próxima para festinhas
A Margarida fez e ainda faz algumas cenas de ciúmes, mas por outro lado é super atenta ao bébé. Foi-se aproximando dele e gosta que ele lhe faça festas, no início como ele não reagia gostava muito de se vir deitar nas minhas pernas enquanto amamentava. Todos os dias têm uma rotina, quando chego com o Xavier sento-o no chão e a Margarida dá-lhe umas turras enquanto ele lhe faz festas, depois segue cada um para seu lado.

Sempre perto para brincar
A Zorra segue bastante o Xavier mas só deixa que ele lhe toque enquanto dorme, tenho que acrescentar que a Zorra dorme nos pés da cama do Xavier. É muito atenta a tudo o que ele faz e gosta de o ver a brincar, com bolas é uma festa e se ninguém estiver a ver por vezes brinca com ele (atira-lhe as bolas).

Reagem bastante se ele estiver instável. Se estivermos na sala e o Xavier chorar no quarto, vão a correr e miam bastante se o choro for intenso.




6 - O surgimento de um bebé implica sempre alterações na rotina diária, no espaço da casa, no tempo livre, etc. Como é que os animais reagiram e se adaptaram (ou não) a essas mudanças?



Apesar das alterações na rotina nunca deixei de dar a latinha do pequeno-almoço às “meninas”, actualmente elas e o Xavier tomam o pequeno-almoço juntos. Tentei sempre, na medida do possível, não mudar a rotina delas e arranjar sempre tempo para as festas e o colo no sofá, a latinha, as brincadeiras.

Em relação ao espaço na casa, até ao Xavier começar a gatinhar a restrição que havia era as gatas não se deitarem no berço dele, mas tinham, como sempre tiveram acesso a toda a casa. Quando o Xavier começou a gatinhar passaram a ter que dividir entre os três o espaço da casa.


A brincar com a Margarida



7 - Como é a relação do Xavier com as gatas?

A relação do Xavier com as gatas é de curiosidade/brincadeira. Gosta de andar atrás delas pela casa em jeito de brincar à apanhada. Em relação às festas já começa a perceber quando é que a Margarida as quer ou não e tornou-se menos (não muito) bruto na força que faz nas festas.

Acho até que a relação dele com as gatas fez com que reaja bem a outros animais, já esteve ao pé de cães e não se assustou nem reagiu com medo.

O melhor exemplo que posso dar é o de uma ida à UZ e à alegria e gargalhadas do Xavier num gatil a fazer festas e a dar a mão a cheirar aos gatos com direito a umas lambidelas.

Momento de relax, cada um no seu cantinho



8 - O Xavier tem ou teve problemas de saúde (alergias, algo que pudesse ser imputado ao contacto com os animais)?

O Xavier não teve até hoje nenhum problema de saúde.



9 - Consideras que ter animais em casa afectou positiva ou negativamente a criança? Em que aspectos?

Não sei dizer como seria não ter animais em casa a conviver com o Xavier mas acredito que vai ser bastante benéfico. Os animais são muito puros e acredito que convivendo com eles o Xavier vai aprender (com o contributo dos pais) a tratar todos de forma igual humanos e animais.


10 - Queres deixar algum conselho a futuras mamãs ou casais?

Gostava só de lhes transmitir que “os amigos não se abandonam”.







Mais uma vez obrigada à Silvia pelo seu testemunho e pelas deliciosas fotas que amavelmente partilhou connosco.





- Filipa Bastos (Filipa Bastos) [ Europe/Lisbon ] 2010/10/03 13:22

Versão para Impressão Enviar a um amigo
TERMOS DE USO | Regras de Utilização | Felinus e Cia. - © 2001 - 2018 Equipa Felinus