Anúncios | Artigos | Galeria |  Fórum   | Eventos | Utilizadores | Top | Raças | Diários | Quem?

Utilizador:
Password:
Memorizar-me


== ARTIGOS ==
Site Felinus
Lazer
Entrevistas
Clipping
BD
Newsletters
Encontros
Ajuda
Notícias
Sobre o Site
Informação
Raças
Conselhos
Legislação
Notícias
Campanhas
Crónicas
Histórias Felizes
Ficção
Humor
Opinião
Livros
Revistas
Filmes
Lojas
Veterinários
Alimentação




Artigos  » Informação » Conselhos

Cuidados de Higiene: conselhos sobre a escovagem do gato

A limpeza é como um ritual que faz parte do dia a dia do gato, pois este é um animal extremamente limpo. A mais pequena imperfeição no pêlo incomoda-o e desencadeia imediatamente o instinto de se lamber.

Os gatos domésticos fazem da sua higiene a ocupação N.º 1, passando horas e horas a lamberem-se. Para eles é entretenimento, uma distracção para combater a ansiedade e o stress. A limpeza do corpo é uma operação delicada que requer concentração e calma. Antes de começar, o gato escolhe um local sossegado e seguro para não ser incomodado ou surpreendido. De seguida, acomoda-se posicionando-se da forma mais confortável possível, frequentemente onde há um raio de sol e, com gestos sequenciais e seguros, começa a limpar com longas lambidelas o pescoço e o peito, passando depois à limpeza dos ombros e das costas.

O gato caracteriza-se por uma pelagem particularmente densa (800 a 1600 pêlos por cm2) comparativamente com outras espécies. Os folículos congregam-se em grupos de 10 a 20 pêlos, compostos por 2 ou 3 pêlos primários e inúmeros pêlos secundários.

Cada folículo primário está na origem do pêlo primário que é relativamente espesso e longo. Este pêlo primário encontra-se circundado por pêlos secundários, mais finos e curtos, muitas vezes desprovidos de músculos erectores ou de glândulas sebáceas, e que compõem o sub-pêlo.

O gato possui uma ferramenta muito útil para a manutenção da pelagem: a língua. Graças à sua superfície áspera, remove os pêlos mortos, ordena e areja a pelagem. Como complemento, é recomendável escovar a pelagem do gato para a arejar, eliminar os pêlos mortos, assim como os tufos (ou lanugem) responsáveis pela ocorrência de prurido e contracções da pele.

A escovagem trata-se de uma necessidade para retirar os pêlos mortos que se conservam na pelagem e evitar que o animal os engula. Se o animal se lamber excessivamente, poderá ingeri-los em quantidade elevada, provocando a formação de bolas de pêlo no estômago. As bolas de pêlo podem originar vómito e obstipação, prejudiciais ao crescimento do gatinho. É também importante, para revelar a presença de parasitas, como pulgas, carrapatos ou piolhos, que farão o gato coçar-se excessivamente.

Recomenda-se vivamente que habitue o seu gato a ser escovado desde bebé, porque se o fizer em adulto ele pode não gostar muito, e pode não aceitar ser escovado. Habituar o gato a cuidados de higiene regulares, felicitando-o pelo seu bom comportamento constitui a chave para o sucesso.



Material


Existe uma vasta gama de equipamentos disponíveis no mercado para a toillete do gato. O material indispensável para a escovagem inclui: carda, pente de metal, escova, tesoura de aparar, tesouras de pontas redondas e de desbaste. A necessidade e método de utilização de cada instrumento varia em função da raça e tamanho do pêlo.


Carda ou cardadeira

A carda é uma escova especial de forma plana, com dentes flexíveis e curvados. Permite a manutenção da pelagem no Inverno (sobretudo em gatos de pêlo longo e semi-longo) e eliminar os pêlos mortos no período de muda. Quando se utiliza a carda, a escovagem do gato deve realizar-se no sentido do crescimento do pêlo.

Pente

Alguns criadores optam por pentes com dentes alternados (grandes e pequenos) para desenlear mais facilmente o sub-pêlo fazendo subir os nós até à superfície.

Deve evitar-se pentear excessivamente um gato de exposição: os pêlos perdidos diariamente podem fazer diferença no final da estação. Assim, é preferível dar banho ao animal, no mínimo, uma vez por semana.


Pente de aparar

O pente de aparar é um pente muito fino que permite remover pêlos indesejáveis.

Alguns criadores utilizam este instrumento para eliminar o pêlo em espiga sobre o nariz, valorizando assim a linha direita do perfil. Também o aplicam sob o queixo para realçar a forma triangular da cabeça.

Escova de alisar

Uma escova de alisar é útil para remover pêlos mortos dos animais de pêlo longo, mas deve ser usada com cautela para evitar que se arranquem outros pêlos.

Escovas de Cerdas

As escovas de cerdas são úteis para pêlos curtos, e alguns criadores gostam de dar aos seus gatos um polimento final com uma luva de camurça ou com um retalho de veludo ou seda antes de uma exposição.


Tesoura

As tesouras de pontas redondas são bastante úteis para corrigir pêlos menos atraentes. No Persa servem para conferir um formato redondo às patas e alongar o olhar, através do corte dos pêlos do canto superior externo dos olhos. Alguns criadores recorrem, igualmente, a tesouras de desbaste para definir a base das orelhas. Os pêlos situados nesta região, frequentemente demasiado longos, tapam as orelhas fazendo com que pareçam mais curtas. Nos gatos de cabeça triangular, pode também proceder-se ao desbaste dos pêlos existentes no topo do crânio.




Raças de pêlo curto



Uma escovagem semanal com uma escova de seda natural é suficiente. De seguida, o animal pode ser penteado com suavidade para não lesar o pêlo ou o sub-pêlo (se for o caso). O pente consegue penetrar melhor na pelagem do que a escova, mas comporta maior risco de danificar a pelagem ou irritar a pele. Antes de escovar e/ou pentear o gato pode efectuar uma massagem com as pontas dos dedos, no sentido contrário ao pêlo para libertar os pêlos mortos e arejar a pelagem.

Os gatos de pêlo curto devem geralmente ser penteados e escovados na direção do pêlo, da cabeça para a cauda. Pode usar um pente de dentes finos para alisar o pêlo e ajudar a localizar pulgas;

Durante o período da muda, é necessário intensificar a frequência das escovagens ou utilizar uma escova ou luva de massagem em borracha para soltar os pêlos mortos. Em algumas raças de pêlo muito curto, a massagem com uma pele de camurça é suficiente. A pele de camurça também pode ser utilizada para dar lustre à pelagem do gato (Singapura, Abissínio, Siamês, entre outros).

Pode ler aqui, uma versão humorística da escovagem de um gato de pêlo curto, da Isabel Cabral




Raças de pêlo longo ou semi-longo



A manutenção do pêlo deve ser diária para evitar a formação de nós ou tufos de pêlo emaranhados que, para além de causarem um enorme desconforto ao gato, promovem a sujidade e a presença de parasitas.

Deve iniciar-se a escovagem pela pelagem situada entre os membros posteriores, por trás dos anteriores e das orelhas. De seguida, escova-se o pescoço e o dorso para eliminar a lanugem que se forma nas extremidades finas dos pêlos. O gato deve ser penteado de baixo para cima de forma a remover suavemente os pêlos mortos e suprimir eventuais nós.

Depois de pentear cada zona, procede-se ao exame da pele afastando os pêlos com cuidado: a presença de pequenas partículas negras e brilhantes constituem vestígios de excrementos de pulgas.

Os cuidados de higiene terminam com a manutenção da cauda. Deve ser escovada não só no sentido do comprimento como também lateralmente, separando bem os pêlos, para lhe conferir volume.

Existem produtos pulverizáveis para desembaraçar a pelagem, que ajudam a evitar a formação de nós, particularmente nos gatos de pêlo semi-longo, ou com sub-pêlo espesso (Bosques da Noruega, por exemplo).


São basicamente estes os cuidados diários da Inês Gonzalez, que tem gatos de pêlo comprido, e normalmente faz parte das suas tarefas a escovagem deles:

“1) A Cardadeira deve ser a primeira coisa a ser passada no pêlo do gato, no sentido contrário ao do pêlo, para tirar os pêlos mortos que estão por baixo;
2) De seguida deve-se passar outra vez a Cardadeira para endireitar o pêlo;
3) Depois deve ser utilizado o Pente de Dentes de Metal, para encontrar vestígios de nós (o Pó de Talco deve ser utilizado para ajudar a desembaraçar os nós);
4) Por último utiliza-se a Escova de Cerdas para dar brilho ao pêlo do gato.

Há pessoas que utilizam primeiro o Pente de Dentes de Metal e depois a Cardadeira mas, pelo menos para mim, dá-me mais jeito utilizar primeiro a Cardadeira.

Deve-se começar a escovar o Gato pela barriga, de seguida a cabeça e o tronco e no fim a cauda e as patas.”


A Carla Machado, criadora de Bosques de Noruega, que são gatos de pelo semi-comprido, fala-nos também da sua experiência:

“Então vamos por partes:

Idade do gatinho/a também conta.

Até aos 9 meses não são precisos grandes cuidados na escovagem, ou seja, não é necessário a manutenção das 2 vezes por semana, estamos a falar ainda de pêlo de bebé, e por isso ainda muito suave e macio, aconselho 1 escovadela por semana, mas apenas para o gatinho se habituar à cardadeira e/ou pente, o corte das unhas também faz parte da higiene, com tesoura própria para gatos.

Banho só se for necessário, por exemplo saídas à rua em que se suja, ou no caso de participar em exposições, neste último caso, banho 1 semana antes da exposição.

A partir dos 9 meses, aproximadamente, começa a mudança do pêlo de bebé para o adulto, agora deixa de ser tão suave e macio, e passa a ser mais espesso e lustroso, a partir daqui então vamos para as 2 escovadelas... a sério por semana. Em estações quentes, podemos “aumentar a dose”.

É característico dos Bosques da Noruega a sub-camada de pêlo, temos de evitar os nós que, no caso desta raça, transformam-se rapidamente em novelos em que nem o pente entra, neste caso por mais que nos custe... tesoura... há que evitar a todo o custo o sofrimento do nosso bichinho… retomando, tendo eles uma sub-camada, no meu caso, levanto sempre o pêlo (camada superior) com uma das mãos, e depois com o pente, penteio toda a parte de baixo, todo o corpo deverá ser penteado no sentido do pêlo, nunca ao contrário.

O pente a que me refiro, é específico para animais que têm 2 camadas distintas de pêlo, uma mais curta que protege o corpo (sub-camada) e a outra mais comprida que cobre tudo.

Atenção aos chamados calções, sempre bem escovados.

Pó talco... esqueça... pode dizer-se que solta o pêlo, mas se for para estar em casa "sogadito", não há necessidade, o importante são as escovagens, e isto para evitar os nós, novelos, ajudá-los a retirar o pêlo em excesso por causa das bolas de pêlo na barriguita.

Voltando ao pó talco, poderá ser usado, no caso dos machos, mas só na cauda. Desconheço o que se passa com as outras raças, mas nesta, os meninos são muito "macho-cat", assim sendo as hormonas andam ao rubro, o que faz com que desde a base da cauda até à ponta fique com uma gordura horrorosa.

O que há a fazer? Bom vamos fazer literalmente um risco ao meio na cauda, e polvilhar com pó talco, depois passamos com o pente, sempre no sentido do pêlo, e no fim para o soltar, passamos com a cardadeira.

Quanto ao colar/gola, também característico desta raça, deve ser penteado também no sentido do pêlo, mas depois como "toque final", podemos levantá-lo um pouco com a cardadeira ao de leve.”



Bibliografia:

http://www.saudeanimal.com.br/higiene_gato.htm
http://www.royalcanin.pt/index.php?option=com_content&task=view&id=259&Itemid=
http://quichacats.no.sapo.pt/higiene.htm


Textos com experiências relatadas por Inês Gonzalez e Carla Machado

- Becas (Fernanda Ferreira) [ Europe/Lisbon ] 2007/07/07 13:26

Versão para Impressão Enviar a um amigo

» Rowan ( Ísis Calió) » [ Europe/Lisbon ] 2007/07/09 13:41
Hoo bem eu sei como é complicado escovar gatos de pêlo semi longo... a nossa sorte q a faruka ate suporta bem as escovadelas... alguem sabe o nome desse pente para pêlo com duas camadas?
Infelizmente a Puminha n gosta de escovadelas... tem q ser mesmo a força...

» chitamota ( Tânia Mota) » [ Europe/Lisbon ] 2007/07/08 04:56
Adorei as dicas! laugh.gif No entanto, cá por casa a de pêlo curto delira com a escova, o de pêlo comprido para além de não se lamber (sim, existem gatos que não se lavam! sad.gif ) detesta a escova e desde pequeno que o habituei...
TERMOS DE USO | Regras de Utilização | Felinus e Cia. - © 2001 - 2018 Equipa Felinus